segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Por um triz

Nasci do ventre de Alexandre Machado
Tomei fôlego ao conhecer um Sarmento
Quase morro ao descuido dos tolos
Venho fraca,
mas muito embora, vivendo..


Queres saber de onde venho? Então vos digo:
Venho dos versos de Moraes
Venho das flechas do cupido
Venho dos recitais
Eu venho lhes dar abrigo
Sou o poema imaculado de Mario Lago
E a verdade nua e crua de Caeiro
Sou o "Alumbramento", de Manuel Bandeira
Eu fui, eu sou, eu vou como Raul

Ando pelas linhas dos cordéis
Na pulcra inocência do interior
Sou o sorriso das moças puras
E o rastro da flor de laranjeira
Eu quero tudo ao meu redor
E faço questão que me reconheças
Então vos digo, certo de certeza
Sou o espírito de Fernando Pessoa.


Se ainda sim não descobristes meu nome
Eu vos direi com toda ousadia
Meu verdadeiro nome,
que se chama:
- Poesia


Nenhum comentário:

Postar um comentário