sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Noturna

Medo de acordar
e não ter pra onde ir,
ando dividido, sonho e realidade.
Toda noite uma voz
me diz baixinho:
voa!

5 comentários:

  1. Ai, poeta menino, que coisa mais linda!! Que seus voos sejam em direção à felicidade e ao sucesso. Peguei seu poema pra mim. Mas sempre levantei a bandeira dos direitos autorais, não se preocupe.:)

    Um beijo pra você e meus parabéns!!!

    * Eu tirei folga do blog e , aos poucos, vou atualizando as minhas visitas.

    ResponderExcluir
  2. Por onde anda?
    Saudade é o que sinto!

    ResponderExcluir